quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Monólogo do artista insône

"A firme certeza de que a madrugada passa está na alvorada. Por que, em meus desvarios, sofro dessa insônia sem tamanho, fomentando uma inspiração, uma luz, um grande espetáculo? Como, em minha interrogação, ecoa a resposta vinda do Universo? E de onde posso extrair tranqüilidade para dormir em paz, sendo que procuro apenas nos lugares que mais comicham de idéias?"
"A firme certeza de que a madrugada passa está na alvorada. E já presenciei muitas. Amanheci acordado cavocando textos, cantarolando canções, buscando metas e estéticas, inúmeras vezes. Acabo sempre dando bom dia ao sol, que se surpreende com minha presença na varanda, perguntando por que estou acordado antes dele, tão cedo. Respondo com um sorriso, apenas. A arte me tira o sono. Tento procurar respostas nela, e essa procura se revela incessante e vã, uma vez que 'a arte não responde; ela pergunta'."
"A firme certeza acaba dando um lugarzinho pro sono. Sono que vem muitas vezes pela exaustão, de tanto que se brincou com possibilidades e personagens. Mas, algumas vezes, o sono vem depois de uma pergunta bem perguntada, ou seja, de uma obra de arte bem concebida. É como o derradeiro momento do orgasmo numa noite de louco amor. Depois do dado instante, tudo no ser relaxa e adormece, finalmente em paz."


3 comentários:

Myska disse...

Eu sei o tamanho do teu valor, o tamanho do teu trabalho, nunca deixe nada nem ninguém dizer o contrário de você! Você é uma pessoa maravilhosa e com certeza em seu futuro há algo tão grande quanto tu pode imaginar! E como eu disse antes... não esquece que somos um tanto bem maiores! =* Amigo raro... TE AMO!

Diego Muñoz disse...

Lisonjeio-me com teus elogios. Agradeço, e ando sempre contigo, amiga querida. Beijos. Luz, amor e paz pra ti.

Anna Karenina disse...

MAGNIFICO